quinta-feira, 29 de outubro de 2009

This Is It

Meninos, eu vi. Fui ontem com Maridão assistir ao filme-documentário "This Is It", que retrata o making-of do que seria a última turnê de Michael Jackson. E querem saber de uma coisa? É BRILHANTE! Sensacional mesmo.

Não, não é um filme feito às pressas pra lucrar em cima do cadáver de Jackson. Todo o processo de produção e ensaios já estava sendo filmado antes, e não creio que alguém tivesse adivinhado que Jacko iria morrer daquele jeito. Esse filme já era previsto para depois da turnê, exatamente como registro histórico da mesma, e algumas imagens seriam utilizadas nos próprios shows.

Não, também não é mórbido nem melodramático. Não se menciona a palavra "morte" em nenhuma vez, não se faz nenhum comentário alusivo ao falecimento do astro, sequer aparecem as tradicionais expressões "in loving memory", "R.I.P." ou as datas de nascimento e morte sob a imagem dele. Também não temos depoimentos emocionados de amigos ou parentes sobre a vida e a morte de Michael, nem imagens de fãs chorando sua morte. O que temos ali é ESTRITAMENTE um documentário sobre a turnê que estava sendo preparada, e as pessoas que aparecem são apenas as que estavam envolvidas nos ensaios e na produção.

Sim, vale a pena assistir. Até mesmo por uma questão de justiça, pois pelo que podemos ver no filme, os shows seriam simplesmente fantásticos, seria um desperdício se o mundo não pudesse ver como seria. Jackson era tão absurdamente profissional que um simples ensaio dele era muito melhor e mais verdadeiro do que muito show que se vê por aí. Então a sensação que temos é essa: de estarmos, na verdade, assistindo a um mega-show do Rei do Pop.

A parte que me deixou triste foi reconhecer que, apesar de tudo o que se falou dele até hoje, Michael era uma pessoa normal, um profissional dedicado, um homem extremamente educado e gentil com todos, até mesmo na única vez que se vê ele reclamando de algo... E o mundo só queria saber das esquisitices dele. Apesar das roupas extravagantes, ele era também muito elegante. Como disse meu marido, após o filme: certas coisas só mesmo ele podia usar. Todos sabem que elegância é ser natural, e ele parecia natural com um terno prateado ou uma jaqueta de ombreiras pontudas (qualquer um de nós ficaria bizarro).

Michael ainda cantava e dançava MUITO, e não parecia um homem de 50 anos. Seu conhecimento musical era tanto que ele dirigia sozinho os músicos que o acompanhavam, e tinha sempre razão no que pedia. Por isso eu acho que esse filme faz justiça, não só a Michael e seu talento, como aos músicos, dançarinos, técnicos e demais participantes da turnê, que tanto lutaram para estar ali e tanto se empenharam para que tudo fosse perfeito, e tiveram - eles também - seus sonhos interrompidos com a partida do astro. Todos eles mereciam que esse show fosse visto, de alguma forma.

Agora sim, você pode descansar em paz, Michael. O mundo agora viu do que você ainda era capaz.

Um comentário:

  1. Bom, se eu me emocionei com o seu post, tenho certeza que vou chorar durante o filme inteiro, mesmo que não tenha sido feito com esse propósito como vc mesma disse. =)

    Adorei! Não ia ver no cinema, pq ia esperar pelo DVD, mas agora vejo que vale a pena gastar uma graninha pra ver na telona... Thanks!

    ResponderExcluir