quinta-feira, 29 de outubro de 2009

This Is It

Meninos, eu vi. Fui ontem com Maridão assistir ao filme-documentário "This Is It", que retrata o making-of do que seria a última turnê de Michael Jackson. E querem saber de uma coisa? É BRILHANTE! Sensacional mesmo.

Não, não é um filme feito às pressas pra lucrar em cima do cadáver de Jackson. Todo o processo de produção e ensaios já estava sendo filmado antes, e não creio que alguém tivesse adivinhado que Jacko iria morrer daquele jeito. Esse filme já era previsto para depois da turnê, exatamente como registro histórico da mesma, e algumas imagens seriam utilizadas nos próprios shows.

Não, também não é mórbido nem melodramático. Não se menciona a palavra "morte" em nenhuma vez, não se faz nenhum comentário alusivo ao falecimento do astro, sequer aparecem as tradicionais expressões "in loving memory", "R.I.P." ou as datas de nascimento e morte sob a imagem dele. Também não temos depoimentos emocionados de amigos ou parentes sobre a vida e a morte de Michael, nem imagens de fãs chorando sua morte. O que temos ali é ESTRITAMENTE um documentário sobre a turnê que estava sendo preparada, e as pessoas que aparecem são apenas as que estavam envolvidas nos ensaios e na produção.

Sim, vale a pena assistir. Até mesmo por uma questão de justiça, pois pelo que podemos ver no filme, os shows seriam simplesmente fantásticos, seria um desperdício se o mundo não pudesse ver como seria. Jackson era tão absurdamente profissional que um simples ensaio dele era muito melhor e mais verdadeiro do que muito show que se vê por aí. Então a sensação que temos é essa: de estarmos, na verdade, assistindo a um mega-show do Rei do Pop.

A parte que me deixou triste foi reconhecer que, apesar de tudo o que se falou dele até hoje, Michael era uma pessoa normal, um profissional dedicado, um homem extremamente educado e gentil com todos, até mesmo na única vez que se vê ele reclamando de algo... E o mundo só queria saber das esquisitices dele. Apesar das roupas extravagantes, ele era também muito elegante. Como disse meu marido, após o filme: certas coisas só mesmo ele podia usar. Todos sabem que elegância é ser natural, e ele parecia natural com um terno prateado ou uma jaqueta de ombreiras pontudas (qualquer um de nós ficaria bizarro).

Michael ainda cantava e dançava MUITO, e não parecia um homem de 50 anos. Seu conhecimento musical era tanto que ele dirigia sozinho os músicos que o acompanhavam, e tinha sempre razão no que pedia. Por isso eu acho que esse filme faz justiça, não só a Michael e seu talento, como aos músicos, dançarinos, técnicos e demais participantes da turnê, que tanto lutaram para estar ali e tanto se empenharam para que tudo fosse perfeito, e tiveram - eles também - seus sonhos interrompidos com a partida do astro. Todos eles mereciam que esse show fosse visto, de alguma forma.

Agora sim, você pode descansar em paz, Michael. O mundo agora viu do que você ainda era capaz.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

A Origem do Heavy Metal - 2ª Versão

Como eu disse no post anterior, muitos consideram "Helter Skelter", música lançada em 1968 no famoso "Álbum Branco" dos Beatles, como sendo o primeiro registro de Heavy Metal existente. Coincidentemente foi lançada no mesmo ano que "Summertime Blues" da banda californiana Blue Cheer (assunto do post anterior), que divide as opiniões dos historiadores de música sobre quem veio primeiro. O fato é que "Helter Skelter" tem uma sonoridade diferente do restante da obra do quarteto de Liverpool, mais suja e pesada, e influenciou muitos artistas a tentar o mesmo.

A música foi composta por Paul McCartney (e creditada à dupla Lennon-McCartney), depois que Pete Townshend, guitarrista da banda inglesa The Who, disse que o último single lançado por sua banda, "I Can See For Miles", era a música "mais suja e barulhenta que The Who já havia lançado". Paul ouviu a música e não considerou tão barulhenta assim, e decidiu fazer sua própria música "suja, barulhenta e pesada".


sábado, 10 de outubro de 2009

A Primeira Gravação de Heavy Metal?

Qual seria a origem do Heavy Metal?

Muitos dizem que "Helter Skelter", dos Beatles, foi o primeira música do estilo, na História. Outros afirmam que o movimento surgiu a partir da expressão "Heavy Metal thunder", contida na música "Born to Be Wild" (Steppenwolf) e que passou a designar todo tipo de som pesado. E também há quem afirme que a primeira gravação "oficial" de Heavy Metal pertence à banda californiana BLUE CHEER, surgida no final da década de 60 e inspiradora de artistas como Black Sabbath, entre outros. A banda seguia o estilo da época, misturando blues e psicodelismo, mas seu diferencial era fazer isto de uma maneira muito pesada para os padrões musicais de então.

O Blue Cheer encerrou suas atividades em 1972, mas se reuniu e voltou à ativa em 1988, continuando na estrada até os dias de hoje. No vídeo a seguir, a famosa gravação que é considerada por muitos o "marco inicial" do Heavy Metal: "Summertime Blues", versão do clássico de Eddie Cochran, lançada pela banda em 1968.