sábado, 28 de fevereiro de 2009

Antes ouvir isso, do que ser surda...

Recentemente ouvi um absurdo, vindo de um cara de 43 anos (declarados pelo mesmo). O pior é que o papo se passou num ambiente de trabalho, onde eu não podia dar a resposta merecida, no tom merecido.

O cidadão tinha acabado de saber que eu sou vocalista de uma banda de Metal, e me olhou de cima a baixo, com ar de desdém e primeiro perguntou:
- Mas você gosta mesmo disso???

Achei que ele não curtisse Metal, mas em seguida o cara falou que era fã, já tinha sido cabeludo, já teve banda, já tocou baixo... Mas ele prosseguiu: - Mas você canta mesmo???

E continuava com o olhar de dúvida e desdém.
- Mas que esquisito, mulher que gosta de Metal... Geralmente nenhuma gosta.

Aí eu não aguentei e disse: O que tem de esquisito em gostar de Metal? Você também gosta, não gosta?
- Pô, mas eu sou homem! E me fala uma coisa... Você consegue arrumar namorado assim?

Meu Deus... Que absurdo... Mas ainda fui educada (estava numa situação em que precisava sê-lo) e respondi que isso nunca foi problema, inclusive eu sou casada. Aí veio mais uma pérola:
- Sério? E o seu marido deixa você participar dessas coisas???

Respirei fundo, contei até 1.500 e disse que não só "deixa", como meu marido também é cantor de uma banda de Metal, nos conhecemos no meio musical, etc...

Vou resumir o resto da história pra não ficar chato. O cara continuou duvidando que eu conhecesse algo de Metal ou de Rock, até que, pra encerrar o assunto, ele mandou a pérola final:
- Tá, você pode até ter banda, mas você tem que concordar comigo que Rock, Heavy Metal, essas coisas... Isso é coisa de homem, né? Mulher não deveria se meter...

Nesse momento eu consegui dar um jeito de escapar da situação e cortar a conversa. Até porque, numa hora dessas, não vale a pena perder tempo argumentando, não vai adiantar de nada.

O que me deixa pasma, é que um cara de 43 anos ainda é bem novo, para ter uma visão preconceituosa dessa. Ele certamente é da geração que viveu o boom do Metal no Brasil, e deveria se orgulhar de ter vivido isso e de que o Metal esteja aí vivo, até hoje, em vez de ficar regulando quem "pode" ou "não pode" participar. A persistência do Metal até hoje, em parte se deve a essa geração, que "abraçou a causa".

Acho mais lamentável ainda a premissa de que "rock é coisa de homem", acho que nem minha avó pensava isso... Simplesmente patético.

Mas é isso aí, o lance é que o Metal é para quem gosta, seja homem, mulher, cachorro, papagaio... O que importa é curtir o que se faz!!

Partiu Heavy Duty hoje à noite! Abraços a todos!

3 comentários:

  1. Como dizia minha mãe...pra mulher a idade importa...mas a maioria dos homens permanece sempre na idade média...

    ResponderExcluir
  2. É que ele se amarra em ficar no meio de uma porrada de homem... Se tiver mulher no meio, ele fica acoado! hehe

    ResponderExcluir
  3. Que foda hein! Não entendo como pode existir gente com a mente tão pequena...
    -------------------------------------
    Estou adicionando um link pro seu blog no meu (muiemetal.wordpress.com), pode ser?

    um abraço

    ResponderExcluir